Atribuição do primeiro terreno – Banco de Terras

Apresentação no programa Portugal em Direto, da RTP 1, da ação integrada no Programa de Valorização da Fileira dos Queijos da Região Centro, Projeto co-financiado pelo CENTRO 2020, Portugal 2020 e União Europeia através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Para ver, clique aqui.

Programa de Valorização da Fileira dos Queijos da Região Centro, em apresentação no Programa da Sociedade Civil

Para ver em https://www.rtp.pt/play/p6714/e495947/sociedade-civil

Abertura da Escola de Queijeiros

Estão abertas as candidaturas para a Escola de Queijeiros!

Candidaturas abertas até ao dia 2 de Outubro de 2020, através de Formulário online: https://forms.gle/dtseaSpHP3mBqiTs5

Todas as informações disponíveis no Regulamento em vigor: http://www.inovcluster.pt/…/escola-de-queijeiros

A Valorização da Fileira dos Queijos com D.O.P. em Tempos de Pandemia

A Parceria do Programa de Valorização da Fileira dos Queijos da Região Centro, atenta ao período de incertezas vivido nos últimos meses, manteve-se ativa na dinamização das suas atividades ligadas à fileira.

Com o objetivo de alavancar a Produção de leite em toda a região Centro, a parceria centrou-se na promoção de dois concursos: o Vale Pastor e o Vale Pastor+.

O Vale Pastor, é um concurso que visa atribuir um prémio monetário no valor de 5000 euros a empreendedores que tenham concluído com sucesso a “Escola de Pastores”, já instalados ou que se queiram instalar na atividade da agropastorícia para produção de leite e seu fornecimento a queijarias que produzam queijos com D.O.P. na Região Centro, tendo terminado já a fase de aceitação de candidaturas.

O Vale pastor +, é um concurso que visa atribuir um prémio monetário no valor de 2500 euros a atribuir a empreendedores, produtores de leite que forneçam ou que queiram passar a fornecer leite a queijarias com produção de queijo com D.O.P. e que apresentem o leite de melhor qualidade. Este concurso decorreu como previsto, tendo-se concluído no primeiro semestre de 2020 a fase de envio dos boletins analíticos de controlo realizado ao leite que decorreu durante seis meses, conforme regulamento do concurso.

Sob coordenação das Comunidades Intermunicipais da área de abrangência dos candidatos a concurso, nomeadamente CIM da Região de Coimbra, CIM da Beira Baixa, CIM Viseu Dão Lafões e CIM das Beiras e Serra da Estrela, contando com a forte colaboração da INOVCLUSTER e Cataa – Centro de Apoio Tecnológico Agroalimentar. Ambos os concursos encontram-se em fase de avaliação e hierarquização dos candidatos para atribuição dos respetivos prémios. Uma vez terminada a fase de hierarquização de candidatos, os mesmos serão devidamente informados.

Candidaturas ao Prémio Vale Pastor

Estão abertas as candidaturas ao prémio Vale Pastor, concurso destinado a todos os empreendedores que frequentaram a formação “Escola de Pastores”.

As candidaturas decorrem entre 1 e 20 de Junho, através do link: https://forms.gle/DcfrDAq6UeQoPkJ66

Programa de Valorização da Fileira do Queijo da Região Centro, Cofinanciado pelo CENTRO2020, PORTUGAL2020 e pela União Europeia através do FEDER.

Bolsa de Terras: 28 hectares disponíveis para arrendamento

A COAPE – Cooperativa Agropecuária dos Agricultores de Mangualde, em parceira com o Município de Mangualde, está a promover a Bolsa de Terras que facilita o acesso à terra para promover o uso de terrenos abandonados e sem utilização. Para novos empreendedores rurais, para aqueles que têm intenção de expandir o negócio na área agrícola, florestal ou agropecuária, a Bolsa de Terras é uma oportunidade de o fazer através do arrendamento de terrenos diretamente ao proprietário. Esta é uma forma de “evitar o abandono e a degradação da paisagem, ao mesmo tempo que contribui para o crescimento da economia rural”, refere a COAPE em comunicado.

A iniciativa decorre no âmbito do Projeto “Programa de Valorização da Fileira do Queijo da Região Centro”, apoiado pelo Centro 2020, Portugal 2020 e União Europeia através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

A 1.ª fase de candidaturas para a atribuição dos terrenos decorre até 4 de fevereiro de 2020 e encontram-se disponíveis 28,42 hectares de terreno para arrendamento nos Municípios de Mangualde, Nelas e Fornos de Algodres.

Os interessados poderão consultar mais informações em www.coape.pt/bolsadeterrascoape.

in Bolsa de Terras, 10 de janeiro de 2020

“Vale Pastor” vai premiar o leite de melhor qualidade para produção de queijo DOP

por Lusa 

O “Vale Pastor +”, medida que visa premiar os produtores da fileira do queijo que apresentem leite de melhor qualidade para a produção de queijo DOP, admitiu 196 de um total de 228 candidaturas. 

Segundo os dados fornecidos à agência Lusa pela InovCluster – Associação do Cluster Agroindustrial do Centro, a atribuição do “Vale Pastor +” enquadra-se no projeto “Programa de Valorização da Fileira do Queijo da Região Centro”, cujo objetivo é dar um contributo fundamental para a valorização económica dos queijos DOP. 

Trata-se de um prémio pecuniário a atribuir a produtores de leite que cumpram com os cadernos de especificações para a produção de Queijo DOP e que apresentem o leite de melhor qualidade. 

O valor a atribuir é de 2.500 euros por candidato aceite, no fim do processo de avaliação, pelas quatro comunidades intermunicipais com responsabilidade administrativa no território de instalação dos projetos empresariais. 

Serão premiados com “Vale Pastor +” os candidatos aceites que evidenciarem uma qualidade do leite mais elevada, durante o período de dezembro de 2019 a maio de 2020. 

Esta atribuição está dependente da verificação da qualidade do leite DOP produzido e do cumprimento das normas dos cadernos de especificações da DOP, durante esse mesmo período. 

O Programa de Valorização da Fileira do Queijo da Região Centro envolve um investimento total de 2,7 milhões de euros, sendo que 2,3 milhões correspondem ao Programa de Valorização da Fileira do Queijo da região Centro, financiado em 85% pelo Centro 2020, e 428 mil euros dizem respeito à iniciativa Rota Turística e Gastronómica Queijos da Região Centro, financiada em 65% através do Valorizar. 3 

Na totalidade, o projeto envolve um total de 14 entidades da região Centro, das quais quatro comunidades intermunicipais (Beira Baixa, Beiras e Serra da Estrela, Região de Coimbra e Viseu Dão Lafões), cinco associações do setor, dois institutos politécnicos (Castelo Branco e Viseu) e o Centro de Biotecnologia de Plantas da Beira Interior. 

09/02/2020 

Mais de 190 produtores de leite admitidos na iniciativa Vale Pastor +

A iniciativa pretende dar resposta à perda do impacto e do interesse que a atividade de produção de leite para o fabrico de queijo com DOP tem vindo a sofrer nos últimos tempos.

Vale Pastor + é mais uma iniciativa inovadora inserida no projeto “Programa de Valorização da Fileira do Queijo da Região Centro”, destinada a atuais e potenciais produtores de leite que   fornecemou visem fornecer queijarias produtoras dos queijos Serra da Estrela, da Beira Baixa  e Rabaçal com DOP.

O programa contou com 228 candidaturas, tendo sido aprovadas 196 e pretende dar resposta à perda do impacto e do interesse que a atividade de produção de leite para o fabrico de queijo com DOP tem vindo a sofrer nos últimos tempos junto, não só dos jovens produtores, como também de novos investidores.

A iniciativa decorrerá até maio de 2020, estando os produtores sujeitos à verificação mensal da qualidade do leite DOP produzido e do cumprimento das normas dos cadernos de especificações da DOP estabelecidos. No final do processo de avaliação os candidatos que tenham evidenciado uma qualidade de leite mais elevada, durante o período de dezembro/2019 a maio/2020, serão premiados com o prémio Vale Pastor +, no valor de 2500 euros.

Através da atribuição deste prémio monetário, por parte da Comunidade Intermunicipal, responsável administrativa no território pela instalação do respetivo produtor, a iniciativa pretende não só incentivar os produtores já existentes a continuarem a sua aposta neste tipo de produção como ainda estimular a criação de novas empresas nesta atividade.

A atribuição do Vale Pastor + enquadra-se no projeto “Programa de Valorização da Fileira do Queijo da Região Centro”, apoiado pelo CENTRO 2020, no qual participam 14 entidades, que integram o sistema científico e tecnológico, as associações de fileira e as comunidades intermunicipais, e que se propõem a desenvolver um conjunto alargado de ações de valorização e melhoria da competitividade da fileira do queijo DOP da Região Centro.

Devido a falha da fonte de informação, artigo Editado em 7 de janeiro: “190 produtores de leite”, “atuais e potenciais produtores  de leite que   fornecemou visem fornecer queijarias produtoras dos queijos Serra da Estrela, da Beira Baixa e Rabaçal com DOP”, “produção de leite para o fabrico de queijo com DOP”

Castelo Branco: Escola Agrária arranca com 1ª Escola de Pastores do País

O dia 23 de setembro ficou marcado pelo arranque formal da Escola de Pastores. Realizada na Escola Superior Agrária de Castelo Branco, a Sessão Pública de Arranque da Escola de Pastores, contou com a presença da Presidente da CCDRC, Ana Abrunhosa, com o Presidente da Câmara Municipal de Castelo Branco, Luís Correia, da Presidente da InovCluster – Associação do Cluster Agroindustrial do Centro, Cláudia Domingues Soares e com a presença de António Fernandes e João Luís Monney de Sá Paiva, Presidentes do Instituto Politécnico de Castelo Branco e do Instituto Politécnico de Viseu, respetivamente.

O dia 23 de setembro ficou marcado pelo arranque formal da Escola de Pastores. Realizada na Escola Superior Agrária de Castelo Branco, a Sessão Pública de Arranque da Escola de Pastores, contou com a presença da Presidente da CCDRC, Ana Abrunhosa, com o Presidente da Câmara Municipal de Castelo Branco, Luís Correia, da Presidente da InovCluster – Associação do Cluster Agroindustrial do Centro, Cláudia Domingues Soares e com a presença de António Fernandes e João Luís Monney de Sá Paiva, Presidentes do Instituto Politécnico de Castelo Branco e do Instituto Politécnico de Viseu, respetivamente.

Segundo informação a que o Diário Digital teve acesso, trata-se de um projeto ambicioso e pioneiro em Portugal, integrado no “Programa de Valorização da Fileira dos Queijos da Região Centro”, liderado pela InovCluster, que conta com um investimento total de 2,2 milhões de euros e com a participação de 14 parceiros. Para Cláudia Domingues Soares este “é um projeto pioneiro, inovador, que vai funcionar como um projeto piloto para outros que se sigam.

O grande desafio passa pela articulação entre os diversos intervenientes da Região Centro, mas acreditamos que, assente na cooperação e dando resposta a um desafio proveniente do próprio setor, estamos a contribuir para um território mais sustentável e mais competitivo”, acrescentando que a fileira do queijo constitui uma enorme riqueza “pelo património genético; pelo património histórico; pelo património industrial; e pelo património natural e paisagístico”. Já Ana Abrunhosa destaca a importância do trabalho em rede entre instituições, realçando a necessidade de “continuar a apostar nas nossas atividades tradicionais, a valorizar e a dignificar quem está nesses setores, incorporando conhecimento e tecnologia”.

A Escola de Pastores conta com a coordenação do Instituto Politécnico de Castelo Branco – IPCB – e do Instituto Politécnico de Viseu – IPV – que irão ministrar a componente teórica do curso nas instalações da ESACB (Escola Superior Agrária de Castelo Branco) e da ESAV (Escola Superior Agrária de Viseu). Com uma duração de 4 meses, a Escola de Pastores pretende contribuir para o reforço e valorização da atividade da pastorícia e promover a inovação e o conhecimento dentro da fileira dos queijos com DOP – Denominação de Origem Protegida – da Região Centro.

Luís Correia, considera que “o facto de ser a InovCluster a liderar este projeto, com sede em Castelo Branco, revela a aposta assertiva que o município tem levado a cabo, posicionando, ao nível supramunicipal, o ecossistema agroalimentar existente”. Com 34 alunos – 15 em Castelo Branco e 19 em Viseu – a componente letiva prática centrar-se-á em explorações localizadas nas regiões abrangidas pelos queijos com DOP da Região Centro. Os alunos poderão ainda candidatar-se ao “Vale Pastor” e ao “Vale Pastor Mais”. No primeiro caso será atribuído um prémio de 5000 euros aos alunos que concluírem o curso com sucesso e que, posteriormente, se instalarem na atividade da pastorícia num prazo de nove meses. Já o “Vale Pastor Mais” pretende estimular e apoiar os pastores, já instalados na atividade, a garantirem que o leite que produzem segue os critérios definidos para a produção de queijo com DOP, atribuindo um prémio de 2500 euros. A iniciativa abrange a produção de queijos DOP da Serra da Estrela, da Beira Baixa e do Rabaçal.

O projeto de “Valorização dos Queijos da Região Centro” é cofinanciado pelo programa Centro 2020, Portugal 2020 e pela União Europeia através do FEDER.

02/10/2019

Mais de dois milhões de euros para valorização dos queijos da região Centro

Foram criados, no âmbito deste projeto, um conjunto de incentivos para a valorização dos próprios pastores, com a criação da escola de pastores e a escola de queijeiros, para valorizar a arte e engenho associado à produção de queijo”, anunciou a presidente da Inovcluster, Cláudia Domingues Soares.

A dirigente desta organização falava na apresentação pública, em Mangualde, distrito de Viseu, do projeto de valorização da fileira do queijo da região Centro, que atinge três queijos de Denominação de Origem Protegida (DOP): Serra da Estrela, Beira Baixa e Rabaçal.

Na cerimónia, que contou com a presença do secretário de Estado do Desenvolvimento e Coesão, Nelson de Souza, e da presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDR Centro), Ana Abrunhosa, e o presidente da Câmara de Mangualde, João Azevedo, a responsável disse também que vão ser criados bancos de terra.

“A questão das terras, porque o acesso à terra é algo difícil atualmente e, portanto, estes bancos de terra são, no fundo, mais uma ferramenta no âmbito deste projeto que fica disponível para todos aqueles que a quiserem utilizar”, explicou.

Cláudia Domingues Soares, que lidera a organização que “tem o papel agregador e consertador dos 15 parceiros envolvidos”, entre comunidades intermunicipais, escolas superiores e associações do setor, disse ainda que o queijo “é valorizado, tem é um caminho a percorrer em torno do seu posicionamento”.

“Quer ao nível da rotulagem, da imagem, da comercialização, da internacionalização, ou seja, temos efetivamente muita qualidade. Não temos é muita quantidade, portanto carece trabalharmos todos juntos para conseguirmos posicionar este produto não só a nível nacional, mas também a nível internacional”, assumiu.

Dos quase 2,3 milhões de euros, 75% é financiado pelo programa Centro 2020, mas “só quando acabar a implementação deste projeto, dentro de dois anos, é que é possível medir resultados”, até porque, explicou, “um dos grandes impactos do projeto é o investimento privado que este projeto vai induzir, com este financiamento público”, que o secretário de Estado admitiu ser pequeno.

“Felicito esta pequena grande iniciativa. Pequena na sua dimensão e, agora já posso dizer porque já está aprovado, pelos recursos que envolve, porque se eu o dissesse antes naturalmente os promotores iriam querer uma maior fatia de financiamento, mas sobretudo simbólico porque de facto interpreta bem aquilo que queremos que o Portugal 2020 apoie”, disse Nelson de Souza.

O governante realçou a “importância de trabalhar em rede”, um trabalho “cada vez menos frequente e, por isso, deve ser sublinhado e acarinhado”, acrescentou, sublinhando que “hoje não chega ter a vantagem competitiva, é preciso ter gestão, inteligência e criatividade para fazer a diferença”.

A presidente da CCDR Centro destacou que “é possível, respeitando a tradição e a identidade, incorporar conhecimento, inovação nas atividades tradicionais sem perder aquilo que é a identidade” do produto.

“Inovar nas formas de valorização dos recursos procurando envolver, numa componente de ciência, investigação e inovação, porque por muito tradicional que a atividade seja, é sempre possível incorporar conhecimento, é sempre possível incorporar tecnologia”, defendeu.

Ana Abrunhosa destacou ainda que o “programa é muito pragmático” e isso pode confirmar-se nos “resultados estimados que não são muito ambiciosos, são realistas, porque foram construídos com grande realismo, tendo em conta as dificuldades a encontrar no terreno” e, neste sentido, disse que esperava que fosse possível “duplicar estes resultados”.

“Sob a chancela dos queijos de Portugal pretende-se fazer a promoção conjunta, naturalmente respeitando a identidade de cada marca, a identidade do queijo Serra da Estrela que foi eleito uma das maravilhas da gastronomia portuguesa e, portanto, também queremos contagiar esta notoriedade para o queijo do Rabaçal e para o queijo da Beira Baixa”, desejou.

in Diário de Noticias, 20 de dezembro de 2018